O que é Li-fi

O Li-Fi (Light Fidelity) traz uma proposta inovadora que é fornecer a capacidade do usuário se conectar a internet através da luz, com ele é possível capturar energia da luz e transmitir dados ao mesmo tempo. Trata-se de um sistema Visible Light Communications (VLC) que transmite comunicações de internet sem fio em velocidade muito alta.

Usar luz para transferir não é novidade, a exemplo disso temos as conexões de fibra óptica, mas o Li-Fi provou ser uma conexão mais rápida e confiável. Além do que consegue integração fácil com as tecnologias atuais, como Wi-Fi e 4G/5G.

O professor Harald Hass, apresentou a ideia numa palestra da “TED Talk” em 2011, ele contou que a inspiração surgiu enquanto ele e sua equipe trabalhava no projeto D-Light’ lá em Edimburgo, de lá para cá ele recebeu muitos financiamentos e continua desenvolvendo seu projeto.

Como funciona o Li-Fi?

Funciona através de uma lâmpada LED, que emite pulsos de luz não detectáveis ao olho humano, por ser muito rápido. Junto com desses pulsos emitidos, os dados podem viajar entre os receptores. Da mesma forma, esses receptores tem a capacidade de coletar informações e interpretam os dados transmitidos.

O Wi-fi está ficando obsoleto?

As duas opções sem fio são muito parecidas, ambas transmitem dados eletromagneticamente, a principal diferença é que o Wi-Fi usa ondas de rádio e o Li-Fi usa luz visível para transmissão dos dados.

Porém, consegue transferir 224 gigabits por segundo, o Li-Fi é muito mais rápido do que o Wi-Fi (até 11.200 vezes mais), logo consegue uma taxa de transferência de cerca de 15-20 megabytes por segundo.

Essa nova tecnologia pode sim substituir o Wi-fi e até mesmo trabalhar associado a ele. Quando levamos em conta o amplo uso e dependência da internet na tecnologia moderna, talvez haja realmente uma necessidade de aprimorar a tecnologia Wi-Fi existente.

Isso porque existem várias limitações no uso de frequências de rádio, como por exemplo a cobertura limitada, questões de segurança sobre conectividade, restrição de uso devido à interferência de frequência e congestionamento de redes, ainda mais agora que entramos na era da “internet das coisas”.

Dispositivos inteligentes constituem a internet das coisas

O Li-fi é mais seguro?

Os hackers conseguem capturar dados via Wi-Fi e outras formas de conexão com a internet, podendo acessar informações pessoais mesmo se a conexão tiver uma senha.

A Light Fidelity não só é mais rápida, mas também é mais segura, porque a luz visível não pode ultrapassar paredes como as ondas de rádio do Wi-fi. Portanto, seus dados podem ser confinados a uma única área de uso, como um quarto por exemplo, para acessar esses dados o hacker teria que entrar no cômodo.

Quais são as velocidades de transmissão atingidas pelo Li-fi?

Testes conduzidos pelo Prof. Roland Haas, em ambiente controlado, mostraram a capacidade do Li-Fi de produzir velocidades de mais de 100 Gbps. Inclusive, alguns testes até revelaram que ele pode fornecer dados de até 224 Gbps.

Essas velocidades são muito maiores do que as produzidas pelo Wi-Fi, que atualmente atinge no máximo 100 Mbps. Isso se deve ao fato de que o espectro de luz visível é 1.000 vezes maior do que o espectro de rádio frequência, que é apenas cerca de 300 GHz.

Eficiência energética

Segundo Roland Haas:

“A transmissão de dados requer dois rádios para a transmissão e recepção das ondas de rádio. Esses rádios se comunicam entre si continuamente por meio de transmissores de RF instalados dentro do rádio e um chip de banda base, que consome muita energia apenas para discernir os sinais de dados do ruído de vários outros dispositivos usando a mesma frequência de rádio.

Em Contrapartida, o Li-Fi usa luzes LED suspensas como meio de transmissão de dados. Como ele requer apenas uma fonte de luz e um fotodiodo para decodificar os sinais de luz, todo o processo de transmissão e comunicação de dados requer menos energia geral. Além disso, as luzes de LED têm a sua utilização em oposição a outras formas de lâmpadas, tornando-as uma fonte de luz mais eficiente.”

Fonte:Wireless data from every light bulb>

Cobertura

O Wi-Fi usa ondas de rádio para a transferência de dados, portanto cobertura mais ampla, já que os sinais de Wi-Fi podem alcançar distâncias de até 30 metros, porque as ondas de rádio são capazes de atravessar paredes. Esta é a maior limitação do Li-Fi, uma vez que a luz visível não pode atravessar as paredes. Isso limita a área de cobertura para as salas onde o transmissor LED está instalado.

Vantagens x Desvantagens do Li-fi

VantagensDesvantagens
Segurança: ondas de rádio não saem do cômodo, protegendo seus dados sensíveis de serem capturados por hackers.Alcance limitado: será necessário a instalação de um transmissor por cômodo.
Disponibilidade: já existem pontos de luz instalados com abundância nas residências ruas e comércios.Compatibilidade limitada:  o Li-fi é uma tecnologia nova, nem todos os aparelhos estarão preparados para recebê-lo.
Eficiência: O Li-fi é muito mais econômico em termos de energia, sua bateria durará mais.A não funcionalidade com internet lenta:  Só funciona com boa conexão.
Velocidade:  O Li-fi é muito mais rápido que o Wi-fi.
Capacidade: Mais aparelhos ligados ao mesmo tempo, sem congestionamento.

Mitos


Pelo simples fato do Li-Fi ser uma tecnologia nova, surgem vários equívocos sobre ela, alguns dos mais comuns, segundo a Wikipédia são:

O Li-Fi interfere na rádio frequência: Como o Li-Fi utiliza apenas o espectro de luz visível para funcionar, ele não causa interferência nenhuma em outros tipos de conexões como o Wi-Fi, já que as frequências usadas são totalmente diferentes. Inclusive esse é o motivo pelo qual ele pode ser utilizado em aviões e hospitais.


O Li-Fi não funciona no escuro: Segundo Harald Haas, apesar dos dados serem transmitidos através da luz, as lâmpadas podem ser configuradas para fornecerem uma luminosidade tão baixa que quase não seria notada a presença de luz e ainda assim seria possível transferir dados com alta velocidade.


O Li-Fi não funciona sob a luz do sol: Além da luz do sol poder ser filtrada por um mecanismo específico, ela também emite uma luz constante, o que torna possível identificar as pequenas diferenças de frequência e intensidade geradas pelo dispositivo Li-Fi. Em testes usando Li-Fi sob a luz do sol, eles funcionaram perfeitamente bem.


O Li-Fi não é bidirecional: Já foi provado que o Li-Fi pode ser utilizado, tanto para download como para upload de arquivos, uma vez que os sistemas vêm equipados com um leitor e um emissor de luz para que essa troca bidirecional seja possível.

O Li-Fi não terá um preço acessível: O Li-Fi já é usado hoje em dia por empresas aéreas e corporações para melhorar sua conexão com a internet, mas a tecnologia ainda não está disponível para o público em geral, deixando a dúvida se os consumidores populares conseguirão adquiri-la. Apesar disso, a empresa PureLiFi tem trabalhado em versões menores e menos custosas de aparelhos Li-Fi, o foco da empresa é conseguir atingir o máximo de pessoas possível alcançando o custo mínimo possível dos produtos.

O Li-Fi terá uma vida útil curta: uma lâmpada LED equipada com a tecnologia Li-Fi funciona como uma lâmpada normal e não tem sua vida útil reduzida. Geralmente, lâmpadas LED têm uma expectativa de vida útil de 50.000 horas, se usadas 10 horas por dia, elas duram até 13.7 anos.


São preciso LED’s especiais para o Li-Fi: Apesar de LED’s produzidas especialmente para funcionarem com tecnologia Li-Fi serem ótimas, essa não é uma alternativa viável para o mercado e para a indústria de lâmpadas. Contudo, o Li-Fi ainda funciona perfeitamente bem em LED’s regulares.


O Li-Fi é uma tecnologia disruptiva: O Li-Fi é considerado uma tecnologia disruptiva (assim como as redes sociais ou o cloud computing) relativa ao Wi-Fi, mas esse não é o caso. O Li-Fi é na verdade complementar ao Wi-Fi, eles podem trabalhar em conjunto para fornecer uma conexão melhor e mais rápida, com eficiência.


Portanto, os benefícios da nova tecnologia Li-Fi são enormes. Sua introdução é bem-vinda, mas claro, ainda possui limitações no seu funcionamento e a substituição total do Wi-Fi em favor do Li-Fi é quase impossível, por isso deve ser gradativa. Mesmo assim, ele se apresenta uma opção viável que pode ser usada como alternativa, especialmente em áreas que são sensíveis a rádio frequência.